top of page
Buscar
  • elano53

Rede D'Or repassa à Prisma gestão de suas ações na Qualicorp, com mudanças no comando



Conselheiros indicados pela acionista e CEO são substituídos

A Rede D’Or decidiu terceirizar a gestão de sua posição acionária na Qualicorp, passando os direitos políticos e econômicos da maior parte das ações à Prisma. A estratégia já desencadeou também mudanças na administração da vendedora de planos de saúde coletivos e empresariais, comunicadas há pouco ao mercado.


Ao transferir 19,85% de seus 25,85% na Qualicorp a um veículo gerido pela Prisma, num contrato com prazo de seis anos, a D’Or quer declarar a independência do negócio, fomentando a expansão da companhia com diferentes clientes. A contratação do gestor profissional não está ligada a processos regulatórios, uma vez que tanto Cade quanto ANS já aprovaram a fusão da D’Or com a SulAmérica, sem demandar desinvestimento na Qualicorp – mas vem na esteira dessa discussão.


“Concluída toda a discussão regulatória, a companhia tomou uma decisão mercadológica. A D’Or quer fomentar esse ecossistema de negócios, diversificando suas receitas”, disse uma fonte que acompanhou a definição.


Os demais 6% detidos na empresa continuam nas mãos da D’Or por estarem vinculados a um acordo de acionistas firmado em 2019, referente a um non compete com o fundador e ex-acionista, José Seripieri Filho.


O formato desenhado entre D’Or e Prisma é incomum no Brasil, mas usado no mercado americano, inclusive como solução para evitar conflito de interesses quando um investidor ou empresário assume um cargo na gestão pública, por exemplo.


A independência decisória da Prisma já resulta de imediato na troca dos conselheiros e do CEO que haviam sido indicados pela D’Or na Qualicorp. Renunciaram hoje Heráclito Brito, que ocupava a presidência do board, Mauro Sampaio e Martha Saavedra, e foram eleitos João Mendes e Rodrigo Pavan, sócios da Prisma, e Ricardo Saad, executivo com experiência na indústria de seguros – foi diretor geral da Bradesco Saúde e da FenSeg.


O então vice-presidente do conselho, Murilo Ramos Neto, passa a chairman e o conselheiro Roberto de Souza ocupa a vice-presidência.


O novo board já decidiu também um novo CEO, já que Bruno Blatt era ligado à acionista (era CEO da D'Or Consultoria quando assumiu a empresa, há pouco mais de três anos). A cadeira agora é de Elton Carluci, executivo forjado na Qualicorp, onde ingressou como office boy e já ocupava o posto de VP comercial e de inovação. Carluci vinha sendo preparado para essa sucessão.


No âmbito da fusão com a SulAmérica, a ANS determinou que os conselheiros indicados pela D’Or na Qualicorp não votem quando a pauta for exclusivamente sobre operadoras de saúde. Apesar da preocupação setorial e pressão dos concorrentes, o que se viu até agora é que, desde que a D’Or virou acionista da companhia, em 2019, houve aumento de 40% no número de operadores com quem a Qualicorp se relaciona.


A Prisma é especializada em investimentos alternativos, com R$ 14 bilhões sob gestão. A casa fundada por Mendes, Marcelo Hallack e Lucas Canhoto vai gerir a posição na Qualicorp por meio de uma nova sociedade específica, a PrismaQuali Gestão Ativa de Participações. O veículo fica com posição semelhante ao Pátria na administradora de planos de saúde.


O novo CEO e os novos conselheiros terão desafios pela frente, como recuperar a confiança dos demais investidores em bolsa: a companhia vale hoje na B3 cerca de R$ 1,6 bilhão, com uma desvalorização de 65% em 12 meses. A companhia adotou recentemente a marca Quali, mas mantém a razão social.


9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commenti


bottom of page